blog, Maquiagem
Deixe um comentário

Strobing???

Assim como na moda, a maquiagem passa por mudanças sazonais – talvez menores, mas não menos relevantes. E isso, claro, se aplica também à nomenclatura de antigas técnicas que recebem novos títulos.

Caso mais recente, o strobing é mundialmente difundido entre maquiadores profissionais e consiste em iluminar os pontos convexos do rosto. Por exemplo: alto da maçã, centro da testa, ponto do queixo e a base frontal do nariz, ajudando a equalizar a estrutura óssea e muscular da face, dando aspecto saudável e levemente brilhante, potencializando o volume e o contorno dessas áreas.

Já o contorno é uma técnica oposta ao strobing, mas complementar, que ajuda a enfatizar as áreas onde a iluminação não foi aplicada. Nesse caso, tendo em mente que cores claras e brilhantes aproximam e aumentam, e cores escuras diminuem e afastam, com esse princípio básico de claro e escuro perceberemos que os contornos funcionarão melhor nas partes côncavas do rosto, como nas têmporas, raiz dos cabelos, encovas das maçãs, maxilar e na junção entre o maxilar e o pescoço.

Passo a passo

Depois da pele preparada – com base, corretivo e pó -, iniciaremos a manobra casada de contorno e strobing.

CONTORNO: Você vai precisar de um blush opaco, de tonalidade mais escura que a de sua pele, com cor neutra e sem brilho. Essa cor deve simular o sombreado natural da musculatura do rosto.

STROBING: Com o iluminador – que pode ser em pó, líquido ou em creme -, escolha as partes convexas do rosto para a aplicação. Essa manobra, para ser bem sucedida, deve ser praticamente invisível, perceptível somente quando movemos o rosto e deixamos a luz externa ser capturada pelo iluminador.